Youtubers que atacam STF e Congresso foram recebidos por Bolsonaro antes da ação da PF

29 de Maio de 2020
Youtubers que atacam STF e Congresso foram recebidos por Bolsonaro antes da ação da PF
Um grupo de youtubers aliados ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foram recebidos por ele no último sábado. Entre eles estava a investigada no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura a propagação de  fake news, Bárbara Zambaldi Destefani, de 33 anos, segundo O Globo.   O perfil de Bárbara no Twitter aparece entre os 11 que o ministro apontou em sua decisão como parte de um mecanismo de criação e divulgação de notícias falsas. Em seu canal, Bárbara, que se autodescreve como uma dona de casa e uma eleitora média de Bolsonaro, tem 581 mil inscritos. No Twitter, são 243 mil seguidores. No último sábado, ela conseguiu uma entrevista exclusiva com o presidente da República com quase uma hora de duração. Em vídeo dias depois, ela disse que após a entrevista acabou citada na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, que teria pedido a quebra do seu perfil no Twitter. Na quinta, em seu canal, ela falou sobre o inquérito das fake news: "O processo está falando lá que estamos compartilhando ódio. Nós somos organizados? Isso é verdade? Não. Não é. Não somos uma milícia organizada. Quem sabe um dia, né?!", ironizou.  "O que estamos vivendo é censura. O meu crime é apoiar o meu presidente",  protestou a youtuber, que recentemente fez sua estreia como colunista no portal Brasil Sem Medo, um site ligado ao ideólogo de direita Olavo de Carvalho.
|