Sindicato processa Alvim e pede indenização de R$ 30 mil por ataques a Fernanda Montenegro

Postado dia 26 de Setembro de 2019
Sindicato processa Alvim e pede indenização de R$ 30 mil por ataques a Fernanda Montenegro
Após o dramaturgo e atual diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Roberto Alvim, promover ataques e xingamentos contra Fernanda Montenegro (clique aqui e saiba mais), o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões de São Paulo (Sated-SP) protocolou uma ação judicial contra ele. De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o sindicado pede uma indenização de R$ 30 mil por danos morais coletivos contra a classe artística. Alvim, que é bolsonarista e ganhou um cargo no governo federal após alegar sofria boicote no meio cultural (clique aqui), chamou Fernanda Montenegro de "sórdida" e afirmou que a categoria "que aí está" é "radicalmente podre", com "gente hipócrita e canalha". Ao assumir o novo emprego, ele convocou "artistas conservadores" para compor um banco de dados e criar uma "máquina de guerra cultural" (clique aqui). Ainda segundo a coluna, na ação, o Sated-SP pede também que o diretor retire as publicações com os ataques e que publique em sua página os termos de uma eventual sentença. Caso vença a causa, o sindicato pretende doar o valor da indenização para um fundo social voltado para a categoria de artistas e técnicos do estado de SP. Em reação, Roberto Alvim afirma que a ação judicial é contra a "liberdade de expressão" e tem como objetivo "enfraquecer o governo de Jair Bolsonaro". "Se formos por esse caminho, eu e milhões de brasileiros poderíamos processar uma série de atores que comparam o presidente a Hitler", alegou.
|