Sindicato dos motoristas de aplicativo fala em 'revolta' após adiamento de votação na CMS

Postado dia 06 de Novembro de 2019
Sindicato dos motoristas de aplicativo fala em 'revolta' após adiamento de votação na CMS
Presidente do Sindicato dos Motoristas de Aplicativos da Bahia, Átila Santana revelou sentimento de revolta após a suspensão da votação dos vetos do prefeito ACM Neto (DEM) à lei que regulamenta o transporte de passageiros por aplicativos na capital (veja aqui). O anúncio foi feito durante sessão desta quarta-feira (6) e foi recebido com revolta pelos motoristas que acompanham os trabalhos na Câmara Municipal de Salvador (CMS).    "É uma tristeza. Uma tentativa de enfraquecer o nosso movimento mudando o dia da votação. Hoje deixamos de trabalhar para acompanhar a votação" falou Santana.   Geraldo Jr defendeu um maior tempo para discussão da manutenção ou suspensão das leis. O adiamento ocorre ainda após queda da última reunião de líderes da casa não se manter por ausência de vereadores.   Nesta tarde, os vereadores ainda discutem um áudio em que a vereadora Lorena Brandão (PSC) aparece pedindo ao presidente do sindicato dos motoristas, união para "ir pra cima" durante a votação. Em falas no plenário, os colegas da edil que está no exterior, defenderam que Brandão tentou colocar os motoristas de aplicativo contra a CMS.    Diante do revés entre vereadores e as categorias de motoristas de aplicativo e taxistas, o presidente anunciou suspensão da sessão para discussão dos rumos da votação nesta tarde.    Entre os vetos promovidos pelo gestor municipal, há alguns que estão gerando polêmica, a exemplo da homologação tácita, a exposição da imagem do usuário e a idade mínima para que o motorista por aplicativo tenha permissão para trabalhar.  Outro ponto de discussão foi o veto ao ponto que estabelecia a Companhia de Governança Eletrônica (Cogel) como o órgão responsável por analisar a estrutura da plataforma dos aplicativos on-line e agenciamento de viagens. 
|