Reabertura do comércio em Salvador fez população relaxar cuidados com coronavírus

04 de Agosto de 2020
Reabertura do comércio em Salvador fez população relaxar cuidados com coronavírus
Por mais que a retomada de atividades comerciais em Salvador (lembre aqui e aqui) tenha tido a melhor das intenções, pode ter passado uma "mensagem errada" aos soteropolitanos. A infectologista Clarissa Cerqueira afirma que especialistas têm percebido um relaxamento dos cuidados por parte da população, e acredita que isso pode estar relacionado à reabertura do comércio.  
 
"A reabertura veio no sentido de segurar mais a questão econômica, dar esse suporte, mas isso pode ter passado a mensagem de que já está tudo melhorando, então levou a um relaxamento das medidas de prevenção", opinou a médica, ao citar o aumento no número de pessoas nas ruas, a realização de reuniões, festas e aglomerações.
 
Dados da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) confirmam que mais pessoas têm circulado nas ruas da capital baiana (saiba mais aqui). No último fim de semana foi registrada a maior taxa de circulação de veículos em um domingo desde o início da pandemia do novo coronavírus. O órgão informou que, neste domingo (2), o fluxo de automóveis na capital foi de 84%. O índice é calculado através de uma comparação com a média de fluxo de trânsito normal na cidade, quando não há interferência de festas, feriados ou datas comemorativas (leia mais aqui). 
 
A médica infectologista reconhece a importância da retomada de atividades, mas afirma que o aumento no número de infectados "é inerente à abertura".
 
A retomada de atividades em Salvador condiciona a abertura de setores da economia à ocupação de leitos de UTI na cidade. A fase um do protocolo foi iniciada em 24 de julho, após cinco dias com registro de ocupação abaixo de 75%. Na quinta-feira (30) Salvador chegou aos 68% de ocupação de leitos de UTI adulto (saiba mais aqui). O índice sinalizava a possibilidade de entrada da capital na fase dois do protocolo de reabertura. No entanto, de lá pra cá o número tem ficado instável e chegou a voltar aos 75% (lembre aqui).
 
Nesta segunda-feira (3) a taxa ficou em 70%, de acordo com dados divulgados pelo secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas.
 
Ao tempo em que há alternância no índice de ocupação de leitos de UTI, o número de casos ativos da cidade caiu em relação ao dia da reabertura. Dados do boletim da Sesab indicam que em 24 de julho Salvador contabilizava 2.879 pessoas ainda doentes, enquanto nesta segunda esse número era de 1.848.
 
Apesar da queda aparente nos números, Clarissa ressalta que ainda está no prazo de observar o aumento de casos. "Ainda pode ser que os casos aumentem mais. Porque a doença que foi transmitida na semana passada ainda pode aparecer nessa semana e semana que vem", alertou.
 
A médica ainda ressalta que vê com dificuldade a possibilidade da capital chegar à terceira fase do protocolo. "Sempre que for relaxando, vai aumentar o número de casos e a ocupação. Acho difícil que cheguemos por agora a esta etapa", ponderou. Na fase três poderão voltar a funcionar parques de diversões e temáticos, teatros, cinemas e demais casas de espetáculo, clubes sociais, recreativos e esportivos e centros de eventos e de convenções. 
|