05 de Março de 2021

Para Guedes, PEC emergencial é 'compromisso com a saúde e com a responsabilidade fiscal'

Para Guedes, PEC emergencial é  'compromisso com a saúde e com a responsabilidade fiscal'

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (5), o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a PEC emergencial, que tramitará a partir da próxima semana já na Câmara dos Deputados. Segundo o ministro, a proposta é um "compromisso com a saúde e ao mesmo tempo um compromisso com a responsabilidade fiscal".
 
Guedes ainda aproveitou para comentar o desempenho do Brasil no ano passado, quando se evidenciou uma queda de 4,1% no Produto Interno Bruto (PIB) e afirmou que sem vacinação em massa, a economia não se sustenta.
 
"Então agora é acelerar a vacinação em massa, aprovar as reformas, como disse o deputado Daniel Freitas, relator dessa PEC fiscal, a coisa está relativamente bem encaminhada porque não tem nada novo no Congresso", disse o ministro.
 
Guedes voltou a dizer que após o auxílio emergencial, será necessário ampliar o programa Bolsa Família a partir da fusão de programas sociais existentes hoje. Em 2020, esse plano foi vetado por Bolsonaro.
 
"Temos que reforçar os programas sociais que colocam dinheiro no bolso dos mais pobres, e não esse enorme aparelho estatal, daí eu achar que o compromisso com a agenda liberal continua", disse o ministro.
 
Questionado pelos repórteres, Guedes saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro. Nesta quinta-feira (4), Bolsonaro disse: "Nós temos que enfrentar os nossos problemas, chega de frescura e de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos de enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, aqueles que têm doenças, comorbidades, mas onde vai parar o Brasil se nós pararmos?". 
 
Para o ministro da Economia, "por infelicidade" Bolsonaro não deixou claro o problema da saúde e da vacinação.
 
"Nós não podemos deixar a economia se desorganizar, é muito importante isso. Essa mensagem que o tempo inteiro o presidente tem tentado passar também que, talvez, por infelicidade, não deixou claro o problema da saúde, da vacinação em massa, mas a agonia dele com a economia é a seguinte: se você der o auxílio, chegar lá, a prateleira estiver vazia, todo mundo com dinheiro na mão, a inflação, falta de alimentos Então temos que manter os sinais vitais da economia funcionando, como fizemos no passado", afirmou.


Tags Relacionadas

para, guedes, pec, emergencial, compromisso, com, saúde, com, responsabilidade, fiscal,

Últimas notícias