20 de Setembro de 2021

Ministro direciona verba do orçamento secreto para obra vizinha a terreno de sua propriedade

Ministro direciona verba do orçamento secreto para obra vizinha a terreno de sua propriedade

O ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destinou R$ 1,4 milhão do orçamento secreto, o chamado "tratoraço" para a obra de um mirante turístico vizinho a um terreno onde construirá um condomínio privado no município de Monte das Gameleiras, no agreste do Rio Grande do Norte. A atração turística fica a cerca de 300 metros da propriedade do ministro. As informações são do jornal Estado de S. Paulo.  
 
O investimento bancado com dinheiro público tende a valorizar o mais novo negócio particular de Marinho, um condomínio de 100 casas num terreno de seis hectares em sociedade com Francisco Soares de Lima Júnior, seu assessor de confiança no ministério. O empreendimento foi batizado de Condomínio Clube do Vinho.
 
O Estadão, obteve por meio da Lei de Acesso à Informação duas planilhas de execução orçamentária do Ministério do Turismo, pasta chefiada por Gilson Machado, que confirmam que ele é o "autor" e o "agente político" da indicação dos recursos. Numa audiência na Comissão de Trabalho, Administração e Serviços Públicos da Câmara, no dia 8 de junho, Marinho negou a autoria dos pedidos e repasse de verbas.
 
O Estadão, contudo, obteve os documentos nos quais Rogério Marinho aparece como solicitante dos repasses. Informado disso, o ministro admitiu ao jornal que acionou o Ministério do Turismo, mas alegou que o fez a pedido do deputado Rosado. O nome do parlamentar, no entanto, não aparece no documento relacionado ao repasse da verba, apenas o de Marinho.
 
"Em um evento no dia 4 de dezembro de 2020, no Rio Grande do Norte, o deputado federal Beto Rosado perguntou ao ministro Rogério Marinho sobre a possibilidade de encaminhar pleito para a construção de um mirante na cidade por meio das ações orçamentárias do MDR", destacou nota enviada ao jornal. "Após análise pela Assessoria Especial de Relações Institucionais (AESPRI) do MDR, constatou-se que o empreendimento se enquadraria em ação orçamentária de competência do Ministério do Turismo, tendo então o pleito sido encaminhado para a pasta, como é feito rotineiramente."
 
A resposta enviada à reportagem não esclareceu por que o ministro negou na Câmara ter feito a solicitação, tampouco explicou sobre a relação de sociedade entre Marinho e Francisco Soares de Lima Júnior, um servidor comissionado que nomeou na pasta.
 
Ao jornal, o deputado Beto Rosado referendou a versão de Marinho, seu aliado político. Em meio à pandemia do coronavírus, ele disse ter procurado dois ministros para colocar dinheiro na construção de um mirante. "Eu fiz solicitação ao Gilson Machado (do Turismo) e ao Rogério Marinho, porque, como ele é um conterrâneo meu, tem influência forte no governo, ajuda, mas saiu no Ministério do Turismo", disse. "Não tem meu nome porque não é emenda individual minha, mas é uma indicação", argumentou.
 
A reportagem pediu ao deputado que forneça uma cópia do documento com que formalizou a indicação. "Com muita boa-fé eu vou procurar e envio", disse Rosado, mas não enviou.
 
O governo já reservou a quantia de R$ 1.441.714,00 para transferência à obra do mirante, mas a prefeitura ainda não pode receber o dinheiro por causa de inadimplências na Caixa. O contrato de repasse dos recursos vale até agosto de 2023.


Tags Relacionadas

ministro, direciona, verba, orçamento, secreto, para, obra, vizinha, terreno, sua, propriedade,

Últimas notícias