Marcelle deve enfrentar resistência para encontrar novo partido, avaliam tucanos

Postado dia 05 de Dezembro de 2019
Marcelle deve enfrentar resistência para encontrar novo partido, avaliam tucanos
Sem partido, Marcelle Moraes pode enfrentar resistência interna da sigla que resolver se filiar para disputar a reeleição no próximo ano. A avaliação dentro do PSDB, um dos destinos ventilados para a vereadora, é que Marcelle causa resistência por ter votos para ser eleita, mas não o suficiente para puxar outro candidato para a Câmara Municipal de Salvador (CMS).   Sem a possibilidade de coligação na eleição de vereadores em 2020, uma chapa com Marcelle assusta candidatos com chances de conquistarem um mandato, mas sem o mesmo potencial eleitoral da vereadora. O irmão de Marcelle, o deputado estadual Marcell Moraes, é filiado ao ninho tucano.    "Uma filiação de Marcelle esvazia qualquer partido grande. Quem tem esperança de ser eleito, não vai querer estar na mesma chapa de candidato com voto o suficiente para se eleger sozinho. Marcelle pega para ela uma cadeira em qualquer chapa que entrar", ponderou um tucano ao BN. Eleita em 2016 com 15.727 votos, a vereadora e militante da causa animal deixou o PV e vai precisar procurar outro partido para disputar a eleição.    A ida de Marcelle para o PSDB sofre ainda mais resistência dentro do partido por conta de outra possível filiação com o mesmo perfil. O deputado estadual David Rios (PSDB), considerado uma potência eleitoral em Salvador, deve cacifar a ida do irmão Daniel Rios (MDB) para o ninho tucano.
|