Lauro: Ex-prefeito alega que multa prescreveu quando não estava na gestão

Postado dia 27 de Junho de 2019
O ex-prefeito de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Márcio Paiva, negou a falta de pagamento de multas aplicadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA) (veja aqui). Em nota, o ex-gestor alegou que a multa prescreveu quando não era mais prefeito do município.   "A multa ocorreu no dia 8 de abril de 2012 e prescreveu no dia 29 de abril de 2017, quando eu já não era prefeito de Lauro de Freitas, no valor de R$5.000,00 e com as correções gerou o valor de R$ 8.321,93, com responsabilidade minha no valor de R$ 7.142,56 e à Moema Gramacho no valor de R$ 1.789,31", disse.   Ainda de acordo com o texto, as dívidas no período da gestão 2013-2016  foram colocadas na dívida ativa. "Entraremos com a documentação no TCM demonstrando que esta multa foi devidamente cobrada à Moema Gramacho e que a prescrição aconteceu em 2017, quando eu não era mais prefeito de Lauro de Freitas", concluiu.
|