Especialistas em comportamento falam do poder do perdão e do autoperdão

Postado dia 14 de Novembro de 2019
  A felicidade é um estado de espírito, e para termos acessos a tão sonhada felicidade, precisamos acessar o autoperdão e perdoar a nossa história. Esta afirmação da Teraputa Holística Ana Cláudia Queiroz provoca a reflexões sobre o poder do perdão. Para a Terapeuta Ana Cláudia que há mais de 20 anos trabalha em Salvador ajudando diversas pessoas, só conseguimos isso voltando pra dentro, revendo a própria história e trajetória e tendo um olhar amoroso para a criança interior. "Revendo as crenças limitantes e padrões negativos podemos enfim sonhar e conviver com a tão sonhada felicidade! Existem diversas técnicas que ajudam nessa caminhada, sendo que todas elas já existiam no universo e foram canalizadas por alguém. Mas o que realmente faz com que a felicidade faça moradia na sua casa, são as escolhas de cada um e o olhar amoroso de quem pegar o caso", explicou Ana Cláudia.    E para falar mais sobre o mesmo tema o BN Mulher conversou com Heloísa Capelas, que é diretora do Centro Hoffman no Brasil. Heloísa é, também, autora do livro "Perdão, a Revolução que Falta". Confira abaixo o que ela fala sobre o tema Perdão. Por que o perdão empodera? O perdão tem a ver com aceitação. Primeiro, você aceita aquela situação e, então, a perdoa. Ao perdoar pessoas e situações da vida você, primeiro, tem uma vida de paz e um sossego mental. Você para de ficar "caraminholando" sentimentos na sua cabeça, então sobra espaço para fazer coisas mais agradáveis. O perdão também aumenta a criatividade, porque você está livre para fazer coisas novas. Você também está pronta para amar mais as pessoas, ter menos vergonha de ser quem é, você se expõe mais, se preocupa muito menos com a opinião dos outros. Você simplesmente é. Então, você se posiciona mais e contribui mais. O que a mulher pode ou deve perdoar para se empoderar? Além de situações do dia a dia, tem um perdão importante que a mulher pode fazer que é a toda a sua história particular de desvalia feminina. A desvalia feminina começa na infância, quando por exemplo os pais privilegiam os meninos ou cobram mais das meninas. Isso vai construindo crenças de desvalia na mulher. Como essa desvalia impacta na mulher? A mulher é mais autocrítica que o homem porque no passado ela foi muito mais criticada do que o homem, foi muito menos permitida. Quando os pais dizem que o que ela está fazendo é feio, que não pode porque ela é incapaz ou porque é menina, ela começa a se exigir muito, porque ela acredita nessa desvalia. Se eu me critico muito é porque eu não estou me legitimando. Eu não me autorizo a ser quem eu sou, eu preciso ser outra pessoa. Mas ser outra pessoa não existe, eu sou esta. Com todo o meu bem e o meu mau. Agora, se não me aceito, se me exijo muito, eu me critico muito. Eu mesma me coloco em diminuição, me sentindo menor. Então o autoperdão também é muito importante. E leva ao empoderamento porque nos apropriamos da expressão "eu posso". Como é o empoderamento feminino frente ao poder dos homens? Ainda estamos descobrindo isso, porque a referência de poder que temos é a do poder masculino. E não estamos em competição com os homens, nem estamos competindo umas com as outras. Precisamos ir atrás da sororidade. Isso vai nos ajudar a reconhecer quem é a mulher atual. As mulheres precisam se reconhecer, se ajudar, se respeitar. Precisamos nos misturar com as mulheres para resgatarmos e descobrir o nosso poder. Dicas para praticar o perdão no dia a dia: Pratique a autoconsciência | Algumas das nossas mágoas mais profundas estão inconscientes e afetam nosso comportamento sem que a gente possa se dar conta. É preciso reconhecê-las e assumi-las para si, ainda que sejam muito doloridas ou, ao contrário, pareçam até bobas ou pequenas. Evite a autocrítica | Ao identificar os próprios rancores, muita gente exagera na autocrítica e passa a se enxergar como uma pessoa inferior, pior ou até mais maldosa que as demais. Faça-se perguntas pontuais | Não são apenas os grandes acontecimentos que se tornam imperdoáveis e que nos levam ao círculo vicioso da vingança e da autovingança. Muitas vezes, episódios cotidianos e aparentemente irrisórios também nos impactam muito negativamente. Quais situações costumam lhe tirar do sério, lhe deixar ofendido, lhe magoar ou entristecer? E quando isso acontece, como você reage? Desmitique suas crenças sobre o perdão | Perdoar não é esquecer, não é um superpoder, não é uma habilidade para poucos e, muito menos, é algo que te torna fraco ou inferior em relação ao outro. Perdoar é uma escolha inteligente, que lhe trará saúde, longevidade e melhorará sua capacidade de se relacionar consigo mesmo e com o outro.    
|