'Big Brother' português deixa público decidir sobre expulsão após comentário homofóbico

13 de Maio de 2020
'Big Brother' português deixa público decidir sobre expulsão após comentário homofóbico
O "Big Brother" português começou sua nova edição há apenas dois dias e já enfrenta uma grande polêmica. Isso porque o reality decidiu deixar para o público a decisão sobre a expulsão de um participantes acusado, já no primeiro dia, de fazer comentários homofóbicos. A TVI, emissora responsável pelo reality em Portugal, anunciou um programa especial para esta terça-feira (12), onde revelou a Hélder Teixeira que ele estava na berlinda, ressaltando que são inaceitáveis atitudes "sexistas, homofóbicas, xenófobas e racistas". "Todas estas transgressões são delitos graves, e o Big Brother jamais poderá fechar os olhos", afirmou a versão portuguesa do Big Boss. "Recordo a Hélder e a todos os concorrentes que estão sendo vigiados 24 horas por dia. Hoje, Portugal acordou extremamente revoltada com o seu comentário". O comunicado se referiu à uma frase dita por Hélder a outros competidores durante uma prova de resistência. "Eu prefiro ser mulherengo do que ser...", teria afirmado ele na ocasião se referindo a Edmar, um outro participante assumidamente homossexual. A mensagem dada aos participantes do reality afirma que a casa deve ser um reflexo da sociedade de uma forma positiva. "Como não posso deixar passar a sua atitude em branco, vou dar aos portugueses a oportunidade de decidir se querem que o Hélder permaneça no jogo ou que seja expulso". Os portugueses terão até domingo (17) para votar e decidir se Hélder poderá permanecer na casa ou será expulso.
|