Bellintani: 'Se eu deixar o Bahia em algum momento, a torcida vai ser a primeira a saber'

Postado dia 19 de Agosto de 2019
Bellintani: 'Se eu deixar o Bahia em algum momento, a torcida vai ser a primeira a saber'
O presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, voltou a não descartar, nesta segunda-feira (19), a hipótese de ser candidato a prefeito de Salvador em 2020. O dirigente esportivo fez questão de ressaltar que, se deixar o clube, será pela "porta da frente" e a "torcida será a primeira a saber". "Não estou trabalhando com a hipótese de eleição municipal. Fico no Bahia até dezembro de 2020. Se alguma coisa acontecer neste meio do caminho, seja uma decisão minha de ir para outro projeto, seja por problema de saúde, eu vou comunicar a torcida. Vou pedir uma licença. Vou renunciar. Mas isso não passa pela minha cabeça agora. Todo dia eu acordo pensando que meu mandato vai até dezembro de 2020. Se alguma coisa acontecer neste caminho, a torcida vai ser a primeira a saber", declarou, em entrevista ao programa "Coletiva", da TV Câmara Salvador, que foi gravado nesta segunda e será exibido na próxima quarta-feira (21). Bellintani frisou que tem "autonomia" hoje e sugeriu que não precisa do apoio do prefeito ACM Neto (DEM) nem do governador Rui Costa (PT) para uma eventual candidatura ao Palácio Thomé de Souza. "Em qualquer momento, [posso] voltar para a gestão pública. Eu sempre fui uma pessoa ao mesmo tempo de projetos coletivos, mas de manter minha autonomia. Tenho minhas escolhas e minha personalidade. Acredito nas parcerias. Ninguém faz nada sozinho. Mas não sou de entender que o projeto que eu acredito, por exemplo, para o Bahia, para a cidade, para minhas empresa, eu preciso do apoio de um deputado, de um prefeito, de um governador. O que as pessoas precisam apoiar é um projeto", pontuou.  O presidente do Bahia salientou que deixou a prefeitura para um "projeto mais meu". "Um projeto do qual eu sou líder, embora eu não esteja sozinho. Estou com os sócios, torcedores e conselheiros. Quando eu saio da prefeitura e consigo colocar de fato a minha cara, exerço papel de liderança e responsabilidade pelos erros e acertos, eu provoco minha autonomia como era antes de entrar na prefeitura. Eu era empresário", disse.  Bellintani reiterou que não tem dívidas com o prefeito ACM Neto. E frisou o legado deixado na prefeitura. "Eu falei o que sinto mesmo. O que é o estilo da minha relação com o prefeito ACM Neto. Uma pessoa que eu não conhecia quando ele confiou a mim assumir a Secretaria Municipal. Isso quando eu tinha 35 anos. Ele não me conhecia nem tinha votado nele. [...]  Eu faço uma participação na prefeitura porque o prefeito me deu essa possibilidade. Me deu esse crédito. E eu também trouxe coisas para a gestão dele. Salvador saiu da última capital do IDEB nacional, pulou nove cidades na minha gestão. É um resultado histórico. Aconteceu porque eu e minha equipe nos mobilizamos para isso. Vai dizer que os professores devem alguma coisa a ACM Neto? Ou ACM Neto deve alguma coisa aos professores? Não. Isso é fruto de uma parceria. Assim como entreguei coisas muito boas para a gestão do prefeito, com erros também, ele também me deu responsabilidade e espaços. É um zero a zero", asseverou. 
|