Autor de pesquisa sobre mar da Bahia elogia estado: 'Tem todas as oportunidades'

Postado dia 10 de Julho de 2019
Autor de pesquisa sobre mar da Bahia elogia estado: 'Tem todas as oportunidades'
O líder global de economia e autor da pesquisa inédita realizada pela PwC, que mostra os setores que mais movimentam a economia do mar na Bahia, Miguel Marques, disse ao BN o Estado é "abençoado em terra e mar". "Tudo que é bom do mar existe na Bahia. Na Bahia tem cursos de água marítima oceânica, mas também tem águas interior. Bahia tem muito potencial para turismo, no alimento, transporte marítimo, energia, conhecimento, sustentabilidade ambiental, o estado é mundo no mar. Tem todas as oportunidades que o mar oferece", afirmou. O projeto de Miguel Marques faz uma compilação de dados que permite acompanhar a evolução do segmento no estado a partir de 2010. Os últimos dados disponíveis mostram que a capacidade dos cruzeiros que chegaram aos portos de Salvador e Ilhéus apresentou um crescimento de 23% em 2017, quando comparado com o ano anterior. O estudo analisa quatro subsetores considerados relevantes da economia do mar na Bahia e suas respectivas variáveis - "Entretenimento, Desporto, Turismo e Cultura", "Transportes Marítimos, Portos, Logística e Expedição", "Pesca, Aquacultura e Indústria do Pescado", e "Energia". Ainda no tópico "Entretenimento, Desporto, Turismo e Cultura", foi observado um aumento na quantidade de navios de passageiros de 8,9% no período de dezembro de 2016 a dezembro de 2017. Essa é uma tendência que vem sendo observada desde 2015, com aumento de 28,3% na capacidade do número de usuários dos navios de passageiros e de 6,2% na quantidade de navios.   O documento registra ainda um aumento significativo na produção anual de aquacultura de peixes, que subiu de 93,60 toneladas em 2016 para 139,40 toneladas em 2017, o que representa um crescimento de 48%. Já na produção anual de aquacultura de camarão, ostras, vieiras e mexilhões foi observada uma diminuição de 24% - de 98,10 toneladas em 2016 para 74,30 toneladas em 2017. 
|