Antes de ser preso, filho de desembargadora renunciou cargo em cartório de Alagoinhas

27 de Março de 2020
Antes de ser preso, filho de desembargadora renunciou cargo em cartório de Alagoinhas
Antes de ser preso na última terça-feira (24), o filho da desembargadora Sandra Inês Rousciolelli, Vasco Rousciolelli Azevedo, renunciou ao cargo de delegatário interino do Cartório de Araçás, ligado à Comarca de Alagoinhas. O filho da magistrada, apontado inicialmente como advogado, também renunciou a função de delegatário interino do Cartório de Aramari.     Segundo informações obtidas pelo BN, Vasco Rousciolelli - o Vasquinho -, teria renunciado ao cargo na sexta-feira (20), após ter sido realizada uma operação controlada na última terça-feira (17) no condomínio Le Parc, onde reside (leia mais aqui). Vasquinho, junto com a mãe, é investigado pela Polícia Federal por venda de decisões favoráveis à Bom Jesus Agropecuária, que disputa mais de 300 mil hectares com o borracheiro José Valter Dias. Mãe, filho e mais um advogado foram presos na 5ª fase da Operação Faroeste (veja aqui).    Antes de ser delegatário, Vasco Rousciolelli foi servidor concursado. Ele foi assessor do desembargador José Cícero Landin e pediu exoneração em novembro de 2015, por ter sido aprovado no concurso de Cartórios das Serventias Extrajudiciais. Vasco conseguiu garantir a vaga através de um mandado de segurança, e por influência da mãe, teria conseguido assumir a interinidade do cartório de Alagoinhas - fato que, na época, incomodou alguns desembargadores. A renúncia ocorreu pouco antes da prisão de Vasco, que pode ter sido beneficiado pela influência da mãe desembargadora junto a então presidente, também presa, desembargadora Maria do Socorro, como sugere um áudio interceptado pela PF (veja aqui).