CFM sugere que ozonioterapia só gera 'custo a mais'; especialista rebate: 'Reduziria gastos'

Postado dia 12 de Julho de 2018
CFM sugere que ozonioterapia só gera 'custo a mais'; especialista rebate: 'Reduziria gastos'
O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, no Diário Oficial da União desta terça-feira (10), uma resolução que define a ozonioterapia como um procedimento que só pode ser realizado em caráter experimental. Com a decisão, a técnica só poderá ser usada em pesquisas, sem custos para os pacientes. No entanto, a prática já é regulamentada no país pelos Conselhos de Odontologia e de Enfermagem, neste último para tratamento de feridas. Com base nessas regulamentações e na recente inclusão da ozonioterapia no rol de Práticas Integrativas e Complementares oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a Associação Brasileira de Ozonioterapia (Aboz) requereu ao CFM uma avaliação sobre o uso da técnica. "Provocado pela chamada Associação Brasileira de Ozonioterapia para fazer uma pesquisa sobre a aplicabilidade no Brasil da ozonioterapia, o CFM levantou mais de 26 mil trabalhos de pesquisa em torno da ozonioterapia, junto aos principais bancos de pesquisa médica do mundo, e concluiu que não há, no momento, evidência inquestionável de que submeter as pessoas a esse tratamento não seja apenas um custo a mais à já combalida bolsa das famílias brasileiras", explicou ao BN o conselheiro do CFM Jecé Brandão.
|