Bellintani elogia doação de Bobô e traça meta ousada ao museu do Bahia: 'Ponto turístico'

Postado dia 19 de Fevereiro de 2019
Bellintani elogia doação de Bobô e traça meta ousada ao museu do Bahia: 'Ponto turístico'
O presidente Guilherme Bellintani elogiou a atitude do ex-jogador Bobô, que doou o prêmio de Bola de Prata recebido pelas atuações na conquista do bicampeonato brasileiro de 1988 pelo Bahia (leia mais aqui). O mandatário tricolor ainda anunciou que o novo museu do clube, lançado nesta terça-feira (19), na Arena Fonte Nova, será colaborativo e que se o torcedor ou dono de uma relíquia simbólica do Tricolor não quiser doar, poderá também emprestar.   "Excelente essa atitude do Bobô pode dar início a uma série de coisas importantes de cada torcedor ou torcedora que tem em casa uma relíquia importante do clube. Seja porque algum jogador deu, seja porque comprou em algum momento, seja porque participou daquele evento. Se não quiser doar, basta emprestar. A gente vai cuidar bem, quando ele quiser de volta a gente devolve com contrato de comodato", disse em entrevista ao BN.   Segundo Bellintani, quem tiver interesse em colaborar com o museu do Bahia poderá entrar em contato com o clube através do e-mail museu@esporteclubebahia.com.br O presidente do Tricolor ainda traçou uma meta ousada para o museu. Ele pretende fazer do local um dos principais pontos turísticos de Salvador.   "É uma meta possível. Ousada e possível! É como a gente trabalha sempre, com pés no chão e cabeça nas estrelas. A gente quer tornar o museu em um dos 10 principais pontos turísticos da cidade. Isso agrega ao turismo, agrega qualidade ao turista que está aqui e agrega orgulho à torcida do Bahia", projetou.   Bellintani ainda falou da parceria do Bahia com a Arena Fonte Nova. Além do museu, a loja oficial do Tricolor já está em funcionamento dentro da praça esportiva.   "É uma parceria muito boa com a Fonte Nova. O espaço mais de 1.200 metros estava inutilizado, desde 2013 a Fonte Nova praticamente não usava esse espaço e o Bahia, portanto, está qualificando o patrimônio público, tornando-o mais atraente para quem frequenta. Acho que a gente tem que pensar em construção e cada vez que a gente constrói acrescenta, agrega coisas, o papel do Bahia é esse", afirmou.
|