Atletas do basquete em cadeira de rodas são afastadas após denúncia de abuso sexual

Postado dia 13 de Junho de 2018
Atletas do basquete em cadeira de rodas são afastadas após denúncia de abuso sexual
Três atletas da Seleção Brasileira de basquete em cadeira de rodas foram afastadas após uma denúncia de agressão a uma companheira de equipe, que preferiu não se identificar. Lia Martins, Geisa Vieira e Denise Eusébio teriam cometido o ato em fevereiro de 2017, após um treino no alojamento do Gladiadoras/Gaadin (Grupo de Ajuda dos Amigos Deficientes de Indaiatuba), na cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo. A vítima relatou que as jogadoras teriam utilizado um pênis de borracha para abusá-la sexualmente.   Segundo o GloboEsporte.com, a atleta teria sido retirada à força de sua cadeira de rodas e jogada no chão para que as colegas tirassem suas roupas. A coordenadora do time, Gracielle Silva, aparece segurando a vítima em fotos que circularam no Whatsapp. Ela acabou se suicidando no dia 29 de maio.   Até o momento, as jogadoras não participarão dos treinos para o Mundial na Alemanha. A Confederação Brasileira de Basquete em Cadeiras de Rodas (CBBC) informou que elas poderão ser banidas da equipe, dependendo do resultado da apuração do caso.   Lia é o maior destaque do time. Disputou as três últimas Paralímpiadas (2008, 2012 e 2016). No Rio, inclusive, a seleção terminou em sétimo lugar, melhor participação na história. Ela venceu o Prêmio Brasil Paralímpico em 2011, 2012 e 2015, foi campeã sul-americana, das Américas e medalha de bronze nos Parapans de Guadalajara e Toronto.   Segundo a atleta, ela foi a idealizadora da "brincadeira", a partir de uma conversa sobre o relacionamento sexual entre duas mulheres.   "Foi uma brincadeira de mau gosto e agora vai destruir a minha vida. A gente sempre falava essas besteiras e dávamos risadas. Mas ela (a vítima) dizia que não precisava de pinto de borracha nas suas relações. O objeto é meu, e eu não tive a intenção de machucá-la", disse, segundo o Portal Lance.   A vítima ainda não prestou queixa por medo de represália, mas já abandonou a equipe de Indaiatuba esse ano.
|